Empresa proibida de contratar com administração pública continua vendendo medicamentos para prefeituras do Maranhão

droga rocha inidônea

O Tribunal de Contas da União (TCU) proibiu a empresa Droga Rocha Distribuidora de Medicamentos Ltda. de licitar com a administração pública após declaração de inidoneidade por três anos, no dia 1º de março de 2017. Ainda assim, a empresa continua vendendo e faturando milhões com prefeituras do Maranhão e do Piauí.

Somente no Piauí a empresa já vendeu mais de R$ 6 milhões de reais a prefeituras no ano passado, vendendo para 37 prefeituras piauienses. No Maranhão, pelo menos três prefeituras ainda mantém contratos com a Droga Rocha: as dos municípios de Barreirinhas, Codó e Tuntum, com contratos que somam o valor de 3.820.454,67 milhões.

O TCU, que publicou o acórdão no dia 1 de março de 2017, tornou a empresa inidônea por três anos em decorrência de irregularidades praticadas em Pregão Presencial realizado pela Prefeitura de Timon, cujo objeto foi o registro de preços para aquisição de medicamentos, correlatos e materiais odontológicos.

O Acórdão que declarou a inidoneidade da Droga Rocha tem validade no âmbito de toda Administração Pública, seja federal, estadual ou municipal, em razão, principalmente do relevante interesse público que permeia a matéria.

 

Maranhenses recebem Medalha de Prata na Expocachaça 2018

medalha de prata na expocachaça

Os destilados maranhenses Cachaça Jacobina e Tiquira Guaaja Amburana foram destaques na 28ª Expocachaça, realizada de 7 a 10 de junho, no Expominas, em Belo Horizonte (MG), evento promovido em conjunto com a 12ª Brasilbier, voltado ao segmento de cervejas artesanais. As representantes maranhenses na maior feira da cadeia da cachaça no País, e considerada a vitrine mundial da aguardente, trouxeram para casa a Medalha de Prata em duas categorias da 7ª Avaliação com Degustação às Cegas e Classificação das Cachaças.

A Jacobina ganhou o Certificado Prata na categoria Brancas Puras, nesta edição 2018 da Expocachaça. A destilaria produz, ainda, a versão Ouro da aguardente que traz o slogan “genuinamente brasileira, orgulhosamente maranhense e caprichosamente produzida em Balsas”.

“As duas versões são produzidas com alta tecnologia e higiene rigorosa, utilizando aditivos e com graduação alcoólica de 40%vol, com buquê invejável, sabor gostoso e uma qualidade ímpar.  A nossa Jacobina Prata ou tradicional, que agora é Categoria Prata da Expocachaça, é guardada em tanques de aço inox que não transferem cor nem gosto ao produto. Mas, também, utilizamos madeiras, como o Jequitibá, que dão gosto mas não transferem cor, deixando a cachaça branca”, explica o proprietário Valdemar Cabral.

Já a Tiquira Guaaja Amburana, produzida na região dos Lençóis Maranhenses e armazenada em barril de carvalho, encantou os jurados da Degustação às Cegas da 28ª Expocachaça pela leveza e pela singularidade: o fato de ser feita da mandioca, inspirada no saber fazer dos indígenas que povoaram as terras do Maranhão. Resultado: o Certificado Prata na categoria Aguardente de Outras Matérias-Primas.

A Tiquira Guaaja Amburana começou a ser produzida em larga escala desde 2015, na fábrica localizada às margens da MA-402, povoado de Sangue, no município de Santo Amaro, sob o monitoramento rígido da proprietária, Margot Stinglwagner, uma carioca que se apaixonou pelos Lençóis Maranhenses e mais ainda pelo sabor diferente do destilado feito da mandioca. Quando decidiu fazer da tiquira um negócio, a empresária sempre pensou em um produto de qualidade, tipo exportação. O feito ela garante que conseguiu.

“Não perdemos em nada para outras bebidas destiladas. O sabor da tiquira é seu grande diferencial. Hoje, o nosso mercado consumidor está concentrado fora do Maranhão em mais de 90%, nos estados do Centro-Sul. Isso pelo fato, talvez, do maranhense não ter o hábito de tomar a bebida – inclusive, estamos minimizando esse fato, com algumas estratégias para popularizar a tiquira no estado, inclusive colocando-a em uma grande rede de supermercados. È um trabalho de formiguinha, mas necessário para que o mercado interno também seja impactado pelo nosso produto”, contrapôs Stinglwagner, que é filha e neta de mestres cervejeiros.

medalha de prata na expocachaça

Consultorias do Sebrae

Tanto a Cachaça Jacobina quanto a Tiquira Guaaja Amburana receberam, em diversas etapas das empresas, o apoio e consultorias do Sebrae na constituição do negócios, gestão e na área técnica. O empresário Valdemar Cabral, antes de empreender, era consultor do Sebrae no projeto Alambiques do Sertão e, ao perceber que o investimento no segmento era propício, montou seu próprio alambique e hoje, após aperfeiçoar a qualidade da Jacobina e investir em tecnologia e inovação, comemora os ganhos e ganha mercado.

“Pela qualidade do produto e capacidade de produção, a Jacobina foi inserida hoje no Comércio Brasil, um programa do Sebrae voltado para o acesso a mercado, onde os participantes integram rodadas e encontros de negócios com objetivo de ampliar os seus canais de comercialização. Participam desse programa empresas que já passaram por outros projetos do Sebrae e que sabemos ter condições de atender a pedidos mais robustos de quem almeja comprar seus produtos, em eventos dentro e fora do Maranhão”, aponta o diretor técnico do Sebrae no Maranhão, Antônio Garcês Paixão.

O diretor superintendente da instituição, João Martins, destaca por sua vez que, saber de dois produtos maranhenses ganhando notoriedade no País, é um grande orgulho para o Sebrae. “Nosso principal objetivo é ver os pequenos negócios caminhando com as próprias pernas, ganhando projeção e crescendo de maneira contínua. É para isso que nos empenhamos tanto, enquanto instituição de fomento e apoio ao empreendedorismo e às micro e pequenas empresas. Sentimos orgulho, sim, por termos feito parte da história desses dois empreendimentos, tanto da Destilaria Jacobina quanto da Tiquira Brasil, que produz a Tiquira Guaaja Amburana, produtos que nasceram no Maranhão e hoje estão conquistando o Brasil e quiçá, o mundo”, coloca o executivo.

A Expocachaça

A feira tem papel de protagonista na visibilidade e status de destilado nobres.  Além de Minas Gerais, com cerca de nove mil produtores representando 60% da produção de cachaça no País, foram convidados para participar e expor seus produtos na 28ª Expocachaça outros 20 estados brasileiros, dentre eles o Maranhão.

Embora a cachaça seja o terceiro destilado mais consumido no mundo, a Expocachaça apresentou outras novidades que vão além da aguardente. Muitos produtores, inclusive, aproveitam a estrutura já existente do alambique e a expertise em cachaça para produzir outros produtos, como gim – que vive os seus tempos áureos – e os  licores.

AUMENTO! Petrobrás eleva preço da gasolina nas refinarias

aumento na gasolina A Petrobras anunciou a elevação de 2,25% no preço da gasolina comercializada nas refinarias. Com a alta, o litro nas refinarias passará de R$ 1,9671 para R$ 2,0113, a partir deste sábado (2), segundo informou a companhia. Trata-se da 2ª alta seguida após uma sequência de 5 quedas.

Na quarta-feira (30), a estatal já havia anunciado aumento de 0,74% no preço da gasolina. Na terça-feira, os preços tinham sido reduzidos em 2,84%. Desde o início de maio, já foram anunciadas 14 altas e 6 quedas no preço da gasolina. Em 1 mês, o combustível acumula alta de 11,29% nas refinarias.

Já o preço do diesel seguirá em R$ 2,0316 o litro nas refinarias até o dia 7 de junho, conforme ficou estabelecido pelo programa de subvenção ao combustível anunciado pelo governo, que prevê redução de R$ 0,46 no preço do diesel por 60 dias. Com a redução, o preço do combustível recuou 2,69% na comparação com o início de maio.

O repasse dos preços cobrados nas refinarias para o consumidor final depende das distribuidoras e dos donos dos postos. Nas últimas semanas, os cortes anunciados pela Petrobras não foram sentidos pelos consumidores, em meio à crise de abastecimento provocada pelos protestos dos caminhoneiros.

Pedro Parente pede demissão da Petrobrás

Com informações do G1

Pedro Parente pede demissão

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (1) que Pedro Parente pediu demissão do cargo de presidente da companhia. O executivo estava à frente da petroleira e maior estatal brasileira há exatos 2 anos.

O diretor financeiro da Petrobras, Ivan Monteiro, aceitou o convite do presidente Michel Temer para suceder Parente na presidência da estatal.

O pedido de demissão acontece em meio aos desgastes e pressões sofridos por Parente durante a greve dos petroleiros em razão das críticas à política de preços de combustíveis adotadas pela Petrobras na sua gestão. Desde julho do ano passado, o preço da gasolina e do diesel comercializado nas refinarias dispararam mais de 50% e foi um dos pontos mais criticados pela greve dos caminhoneiros e dos petroleiros.

Pela manhã, Parente se reuniu com o Temer no Palácio do Planalto, em Brasília. Na véspera, o executivo se encontrou com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia.

“Minha permanência na presidência da Petrobras deixou de ser positiva e de contribuir para a construção das alternativas que o governo tem pela frente. Sempre procurei demonstrar, em minha trajetória na vida pública que, acima de tudo, meu compromisso é com o bem público. Não tenho qualquer apego a cargos ou posições e não serei um empecilho para que essas alternativas sejam discutidas”, disse o executivo na carta de demissão.

Ações da Petrobras desabam

As ações da Petrobras caíram quase 15% na Bovespa. Os papés da estatal chegaram a despencar 21%, e, de manhã, a negociação chegou a ser interrompida devido à forte queda. Apesar disso, a Bovespa fechou em alta de 0,63%.

Segundo dados da Economatica, a companhia terminou o dia avaliada em R$ 230,5 bilhões, contra os R$ 388,8 bilhões da máxima do ano, registrada no dia 16 de maio. No fechamento do último pregão, a petroleira estava avaliada em R$ 271,5 bilhões.

Apesar do tombo nos últimos dias, as ações da Petrobras continuam em situação bem melhor do que 2 anos atrás. No dia 1 de junho de 2016, dia em que Parente tomou posse, a companhia estava avaliada na bolsa em R$ 123,3 bilhões.

Pedro parente pede demissão da petobrás

Seis são detidos por bloqueio da BR em Bacabeira

bloqueio da estrada em Bacabeira

A Polícia Rodoviária Federal conduziu seis pessoas à sede da Polícia Federal na noite desta segunda, 28, por violência em bloqueio na BR-135, na altura da cidade de Bacabeira, região metropolitana de São Luís.

Segundo nota da PRF, os participantes do protesto colocaram fogo em pneus e receberam as forças policiais da PRF e do Exército com pedradas e foguetes (fogos de artifício) usados em grande quantidade contra as equipes.

Entenda

Durante toda a segunda-feira, moradores de Bacabeira interditaram os dois sentidos do quilômetro 44 da BR-135. O motivo da manifestação, segundo a PRF, é apenas ajudar os caminhoneiros a impedir a passagem de caminhões pela cidade.

À tarde, apenas alguns carros pequenos conseguiram passar pelo bloqueio. Segundo relato da PRF, os manifestantes colocaram fogo em pneus, madeira, e até em carros para dificultar o acesso de caminhões.

A região era um ponto de bloqueio de rodovias no Maranhão, mas foi liberado no domingo. Na tarde de segunda, os manifestantes conseguiram bloquear a passagens de caminhões, principalmente os que transportavam combustíveis que saíram de São Luís rumo ao interior do estado, mas que ficaram retidos na volta à capital.

Após o desbloqueio do domingo, a primeira obstrução do trecho ocorreu logo no início da manhã; à tarde novamente e o último bloqueio ocorreu às 21h, quando foram efetuadas as detenções.

Aeroportos funcionam normalmente; estradas tem 16 pontos de bloqueio

Com informações do G1 Maranhão 

pontos de bloqueio na estradas do maranhão

De acordo com Infraero, o Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, situado em São Luís, opera normalmente e o nível de combustível é estável no momento.

Até o domingo (27), dois voos foram cancelados no aeroporto da capital e um em Imperatriz. As companhias aéreas informaram que os cancelamentos ocorreram por falta de combustível. A Infraero recomenda que os passageiros busquem informações sobre a situação cada voo junto com a companhia aérea.

Até o início da noite desta segunda (28), nenhum voo chegou a ser cancelado no aeroporto de São Luís e Imperatriz.

Segurança

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) informou que não há perdas ou interrupções em relação aos trabalhos prestados pelas Polícias Militar e Civil, além do Corpo de Bombeiros. A SSP disse ainda que dispõe de um plano logístico para o abastecimento das viaturas, de modo a garantir que os trabalhos das Forças de Segurança não sejam prejudicados.

Saúde

Um plano emergencial é realizado em hospitais de São Luís pela greve dos caminhoneiros. Alguns insumos e medicamentos, transportados por via terrestre, enfrentam atrasos em razão de bloqueios nas BRs, mas começam a chegar à Central de Abastecimento aos poucos, segundo o Governo do Estado.

Sobre o receio de que faltasse oxigênio para pacientes, a Secretaria de Saúde (SES) informou que uma carga chegou para abastecer os estoques do estado. Ainda segundo a SES, os insumos e medicamentos, de um modo geral, estão localizados no Sul e Sudeste do país. Os caminhões não estão conseguindo sair das empresas para fazer a distribuição pelo país. É o caso de uma carga de 40 toneladas de soro fisiológico que se encontra presa no Ceará.

“Esse soro era para abastecer nossa rede por um bom tempo. Segundo a empresa, não tinha mais caminhões para fazer o transporte e os autônomos estão se negando a fazer. Por isso, colocamos alguns caminhões da SES para realizar o transporte de pelo menos parte desse material”, disse o Secretário de Saúde, Carlos Lula.

As cirurgias eletivas (aquelas que podem ser agendadas) ainda não foram suspensas no estado, segundo a Secretaria. A prioridade da SES tem sido os pacientes que já estão hospitalizados. Os estoques de insumos estão voltados para as cirurgias de urgência e emergência.

Segundo a Prefeitura de São Luís, Hospitais, socorrinhos, unidades mistas, postos de saúde e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) continuam atendendo normalmente.

Serviços

Segundo a Prefeitura de São Luís, serviços como manutenção da iluminação pública, Guarda Municipal, Defesa Civil e fiscalização de trânsito estão com suas rotinas normais.

A coleta domiciliar, remoção de pontos de descarte, capina, roçagem e varrição continuam operando normalmente. Apenas a coleta domiciliar chegou a ser interrompida quinta-feira (24), devido ao bloqueio da BR-135, mas ainda na madrugada o serviço foi retomado.

 Rodovias com bloqueios

A Associação dos Caminhoneiros Autônomos do Maranhão decidiu continuar a paralisação da categoria por acreditar que as medidas adotadas pelo Governo Federal não contemplam os problemas dos profissionais das estradas.

Os pontos de bloqueio nas estradas do Maranhão são os seguintes:

  • São Luís – BR 135, no km 5
  • São Luís – Km 2 do Acesso da BR 135
  • São Luís – Km 6 do acesso da BR 135, na Vila Maranhão
  • Caxias – BR 316, no km 544
  • Caxias – BR 316, no km 535
  • Caxias – BR 316, no km 550
  • Timon – BR 316, no km 610
  • Imperatriz – BR 010, no km 246
  • Cidelândia – BR 010, no km 299,5, próximo a entrada de São Francisco do Brejão
  • Governador Edson Lobão – BR 010, no km 225, localidade Ribeirãozinho
  • Açailândia – BR 222, no Km 663
  • Estreito – BR 010, no km 131
  • Grajaú – BR 226, no km 413
  • Balsas – BR 230, no km 396
  • Balsas – BR 230, no km 406
  • São Domingos do Azeitão – BR 230, no km 216

Frota está normalizada e faculdades retornam às aulas nesta terça

Com informações do G1 Maranhão

novidades da greve terça, 29

Atualizações da greve – No oitavo dia de protesto dos caminhoneiros no Maranhão os reflexos ainda persistem em diversos setores no estado, mas há uma melhora no quadro geral. Nesta segunda-feira (28), 90% da frota de ônibus está rodando na capital, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de São Luís (SET).

Os postos de combustível já não apresentam grandes filas. Em Imperatriz, Caxias e Santa Inês, aos poucos o abastecimento está normalizando. Já em Balsas, apenas um posto recebeu combustível até as 16h desta segunda (28).

Os reflexos na crise do transporte em todo o país persiste mesmo após o anúncio do presidente Michel Temer no domingo (27), que atendeu reivindicações dos caminhoneiros. A categoria segue concentrada em 16 pontos de rodovias no Maranhão.

Entre as medidas anunciadas pelo o governo está a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias, e a isenção de pegamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios.

Veja os principais reflexos da paralisação no estado:

Combustível 

Segundo o Governo do Estado, de sexta-feira (25) até esta segunda (28), quase 200 caminhões-tanque foram abastecidos no Porto do Itaqui com aproximadamente 4 milhões de litros de combustível e seguiram para atender a capital e interior do estado.

Para o interior do estado, uma operação é realizada para transportar o combustível via ferry boat até as cidades. Segundo o Governo do Estado, até o final da tarde desta segunda (28) foram para 33 caminhões de combustível e gás para Imperatriz, sendo 19 para a cidade e 14 para outros municípios da Região Tocantina.

Em Caxias e Santa Inês, aos poucos o abastecimento está normalizando. Em Balsas, apenas um posto foi abastecido até o início da tarde desta segunda (28), causando correria. Mas no final da tarde o Governo do Estado informou que a cidade já tinha recebido 16 caminhões de combustíveis e alimentos, escoltados pela polícia.

Gás de cozinha

Com a greve dos caminhoneiros, a distribuição de gás de cozinha para o interior do estado está comprometida e começa a faltar o produto em alguns municípios. Em São Luís, o abastecimento está normal, mas há pessoas mudando a rotina para economizar.

Alimentos

O protesto dos caminhoneiros também gerou reflexos no setor alimentício no Maranhão. De acordo com o presidente da Ceasa, Milton Gadelha, os produtos considerados essenciais aos consumidores como tomate, cebola e batata faltam nas prateleiras por falta de abastecimento.

Nesta segunda (28), cinco caminhões carregados com bananas, laranjas e frutas diversas furaram um dos 16 bloqueios provocados feitos por caminhoneiros para fazer o abastecimento na Ceasa em São Luís. Cerca de 40 caminhões estavam previstos para desabastecer nesta segunda-feira na Ceasa.

12 postos de combustíveis notificados por aumento abusivo em São Luís

O Procon-MA foi às ruas de São Luís nesta sexta-feira (25) para fiscalizar postos de combustíveis que elevaram o valor do litro de gasolina em meio à crise que se instaurou no Brasil em função da Greve dos Caminhoneiros. A ação se deu após denúncias de consumidores sobre supostos aumentos injustificados nos estabelecimentos.

Doze postos foram notificados e deverão efetuar a redução dos valores imediatamente. A presidente do Procon-MA Karen Barros defende que os consumidores não serão prejudicados, pois a crise dos combustíveis não justifica a lei da oferta e da procura.

“Não há justificativa para novos aumentos no valor do combustível. Por isso, denuncie esta prática que configura crime contra a ordem econômica de acordo com a lei 12529/11, além de ser uma prática abusiva de acordo com o Art 39, V e X da Lei n 8078/90”, explicou Karen Barros.

Os postos que foram notificados também deverão justificar os preços praticados em até 10 dias, a contar da data de recebimento da notificação, sob pena de incorrer no crime de desobediência, nos termos do artigo 330, do Código Penal, ficando sujeitos, ainda, às sanções administrativas e civis cabíveis.

Em caso de suspeita de abusividade, o consumidor pode formalizar denúncia por meio do site, pelo aplicativo ou em qualquer unidade física do Procon/MA.

Maranhão tem 18 pontos de bloqueios nas estradas

bloqueio das estradasA Polícia Rodoviária Federal (PRF/MA) registrou 18 pontos de bloqueio de caminhoneiros nas rodovias do estado na manhã deste sábado.

No Maranhão, a expectativa é que a PRF e o Exército poderão agir a partir de hoje para garantir o cumprimento da ordem judicial de desbloqueio das estradas e o fim do movimento dos caminhoneiros.

Confira o pontos de paralisação:

✔ São Luís – BR 135, km 5, OLEAMA

✔ São Luís – Km 2 do Acesso da BR 135 (posto Paizão)

✔ São Luís – Km 6 do acesso da BR 135, Vila Maranhão

✔ São Luís – BR 135, Km 16,2 do acesso (Avenida dos Portugueses), em frente a Liquigás

✔ Bacabeira – BR 135, km 46

✔ Caxias – BR 316, km 544 Em frente à Distribuidora de bebidas SKIN

✔ Caxias – BR 316, km 535 Em frente ao Posto de Combustível Mais

✔ Caxias – BR 316, km 550 Em frente ao Posto de Combustível Santa Rita

✔ Timon – BR 316, km 610 Em frente ao Posto de Combustível Cinco estrelas

✔ Imperatriz – BR 010, km 246 Em frente ao posto Vale do Sol

✔ Cidelândia – BR 010, km 299,5 Trecho Seco próximo à entrada de São Francisco do Brejão

✔ Em Governador Edson Lobão/MA, BR 010, km 225 – Localidade Ribeirãozinho

✔ Açailândia – BR 222, Km 663, Pequiá próximo ao posto Fiscal

✔ Estreito – BR 010, km 131

✔ Grajaú – BR 226, km 413

✔ Balsas – BR 230, km 396 Posto de Combustível Paizão em Balsas

✔ Balsas – BR 230, km 406 próximo à entrada da UNIBALSAS

✔ São Domingos do Azeitão – BR 230, km 216

Presidente da CNI recebe título de cidadão maranhense da Assembleia Legislativa

Robson Braga Fiema CNI

Ao lado do presidente da Fiema Edilson Baldez, Braga exibe título maranhense concedido pela Assembleia Legislativa do Maranhão

São Luís – O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade recebeu na manhã desta quinta-feira (10/05), em sessão solene, na Assembleia Legislativa do Maranhão (Plenário Nagib Haikel), o Título de Cidadão Maranhense. A honraria foi concedida por autoria do deputado Rogério Cafeteira, que se disse honrado em fazer aquela justa e merecida homenagem a Robson Andrade. “Sinto-me lisonjeado de indicar o homenageado pelos relevantes serviços prestados ao Brasil e ao Maranhão!”

Participaram da mesa de honra da sessão, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Othelino Neto, o secretário de Estado da Indústria e Comércio, Expedito Rodrigues Júnior, o presidente da Federação das Indústrias do Maranhão, Edilson Baldez das Neves, o presidente da Federação das Indústrias de Roraima, Rivaldo Fernandes Neves. Prestigiaram a sessão os deputados Marco Aurélio, Fábio Braga e Rogério Cafeteira, o presidente do Conselho Nacional do SESI, João Henrique de Almeida Sousa, além de diversos empresários, gestores, diretores da FIEMA, conselheiros do SESI e SENAI, representantes de entidades de classe e colaboradores do Sistema FIEMA e do SEBRAE/MA.

“Recebo este título como uma homenagem e uma manifestação de reconhecimento ao empresariado brasileiro que tenho a honra de representar como presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Tenho plena consciência da responsabilidade que é ser cidadão de um estado que representa a crença e a confiança no presente e no futuro de um Brasil dinâmico e empreendedor. Com o apoio de todos, seguirei adiante na minha missão de trabalhar pela indústria do meu país. O Maranhão conta, a partir de hoje, com um novo cidadão aguerrido e pronto para lutar pelos interesses do estado!”, destacou o presidente da CNI e mais novo cidadão maranhense, Robson Braga de Andrade.

TRAJETÓRIA

Robson Braga de Andrade, é natural da cidade do São João del-Rei, em Minas Gerais. Engenheiro mecânico formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Andrade é fundador e presidente da Orteng Equipamentos e Sistemas Ltda, empresa sediada em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, que produz e exporta produtos e serviços para os segmentos de energia, petróleo, gás, mineração, siderurgia, saneamento, telecomunicações e transportes. Ele tem 69 anos, é casado com Cristiana Parisi de Andrade e pai de 3 filhos, Tatiana, Eugênio e Maria Angélica.

Braga acaba de ser reeleito para mais um mandato como presidente da CNI. Ele é o 12º industrial a ocupar o posto da CNI, que completa 80 anos em 2018.

Anteriormente, foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), por dois mandatos (2002-2010), período em que foi vice-presidente da CNI. O empresário é membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (CDES) e do Centro de Altos Estudos em Controle e Administração Pública (CECAP) do Tribunal de Contas da União (TCU).

Ao enfatizar a importância do compromisso da CNI e da FIEMA com a sociedade maranhense, o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto afirmou que sobram motivos favoráveis para sublinhar a eficiência da CNI/FIEMA no desenvolvimento do Estado. “Essa é a forma que o Legislativo tem de reconhecer o trabalho desenvolvido pelo setor produtivo brasileiro e maranhense”, destacou o deputado.

AGRADECIMENTOS

Ao agradecer o legislativo estadual pela honraria, Robson Braga fez um breve relato da sua vida profissional e falou da sua alegria em poder ajudar no desenvolvimento do Maranhão.

“Recebo este título como uma homenagem e uma manifestação de reconhecimento ao empresariado brasileiro que tenho a honra de representar como presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Tenho plena consciência da responsabilidade que é ser cidadão de um estado que representa a crença e a confiança no presente e no futuro de um Brasil dinâmico e empreendedor. Com o apoio de todos, seguirei adiante na minha missão de trabalhar pela indústria do meu país. O Maranhão conta, a partir de hoje, com um novo cidadão aguerrido e pronto para lutar pelos interesses do estado!”, destacou Robson.

Todas as ações fazem parte da programação alusiva ao mês da Indústria e aos 65 anos do SENAI no Maranhão.

“Uma homenagem justa e merecida para quem além de liderar, presta decisiva atenção às ações empreendidas pela CNI para o SESI, SENAI, IEL e as federações estaduais, para que em todo o país, possam ser prestados mais e melhores benefícios e serviços às indústrias, aos industriários e suas famílias e à sociedade brasileira. A partir deste momento nos permita chamá-lo de conterrâneo. E como todo bom concidadão, seja sempre bem-vindo a sua nova terra adotada”, destacou o presidente da FIEMA, Edilson Baldez das Neves.

Fiema Robson Braga

Mesa diretora da sessão solene de entrega do título de cidadão maranhense para o presidente da CNI, Robson Braga foto (Veruska Oliveira)

Leia também:

Adelmo Soares acompanha implantação do Travessia em Caxias

Magazine Luiza inaugura em São Luís com tumulto e muitas vendas

Osmar Filho eleito presidente da Câmara de São Luís